Um ano depois…

Início  |  Carreira   |  Um ano depois…

Um ano depois…

Escolhi esta foto por um motivo, durante anos atendi pessoas nessa poltrona…

Ficava sentada durante horas a conhecer pessoas novas ou a rever caras conhecidas, a ouvir histórias de vida e a contar histórias da vida, a tentar encontrar soluções para as situações que me traziam, a ver e mostrar caminhos, a mimar e a dar conforto…

Aqueles que me procuravam não estavam doentes, muitos deles estava lucidamente sãos. Tal como alguém em tempos disse: a loucura é um estado supremo de lucidez… Às vezes era só isso, uma lucidez que revelou algo difícil de lidar.

Nestes momentos em que começam a vislumbrar e a sentir algo, que sabiam que iria doer ou exigiria tomada de decisões, procuravam-me para ter ajuda no processo. Nem sempre o faziam de forma totalmente consciente, às vezes traziam-me apenas a questão menor e quase nunca conseguiam vislumbrar todo o espectro da situação. Mas não é necessário, para isso estava lá eu, o que interessava era fazermos o percurso juntos. É tão melhor fazer o caminho acompanhado…

E por que razão resolvi eu escrever sobre isso hoje? Agora neste preciso momento?

Já vos conto…

Há um ano, precisamente no mês de Maio, resolvi deixar de fazer atendimentos individuais. Sentia-me cansada e o meu corpo começava a dar sinais de exaustão. Levava muitos anos sentada, enclausurada numa sala durante horas a fio. Tomei uma decisão corajosa e deixei dar consultas. Não foi uma decisão radical, demorei alguns meses ainda libertar-me de alguns dos meus compromissos. Em Setembro dei por encerrada a atividade, achava eu que me despedia das consultas de vez…

Não demorou muito (Janeiro) para que alguns clientes de longe se lembrassem de mim e me pedissem para voltar ao acompanhamento on-line. Desde essa altura mantenho esses compromissos e percebi que gosto cada vez mais de o fazer dessa forma. No entanto, disse-me: apenas clientes antigos, novos não porque (acreditava eu) é muito difícil estabelecer contactos empáticos sem nos conhecermos presencialmente.

Cumpri? Não!! A vida sabe sempre o que faz. Primeiro veio a desculpa que era por serem da família de alguém que já atendia, depois é porque é um grande amigo, mais tarde porque era uma vizinha ou alguém que muito precisava…

Hoje eu já sei que a vida sabe melhor do que eu o que me convém. O meu ego não se digladia para ter razão, aprendeu a aceitar o que a vida nos traz pois sabe que é sempre o melhor para nós, para mim e para ele. Hoje eu deixo-me viver pela vida e sinto que vivo muito melhor.

Tudo muito bem até agora, mas por que razão escrevo eu tudo isto?!

Por causa de um telefonema, uma chamada que recebi logo pela manhã…

Um telefonema matutino, como muitos deste minha grande Amiga, que me faz por vezes acordar para a vida e tomar decisões. Ela tem o poder de me fazer ver aquilo que por vezes eu não consigo (ou não quero) ver.

Falávamos das dificuldades que estes tempos nos apresentam, falávamos da necessidade de apoio que muitas pessoas que conhece já manifestam e também de alguns utentes em que ela diagnostica essa necessidade… Falava-me mais uma vez de como seria bom eu voltar a atender, para que pessoas como estas pudessem contar com o meu apoio… Já falamos muitas vezes sobre isto… mas hoje senti de forma diferente…

E por isso tomei uma decisão, quiçá várias…

Vou novamente voltar a atender, de forma oficial, para todos aqueles que queiram e decidam que eu os posso ajudar.

Não vou fazê-lo presencialmente pois não consigo trabalhar com máscara, nem quero ter um rosto tapado à minha frente. Confesso também que me custaria muito não abraçar cada um dos meus clientes, para nossa segurança continuaremos on-line por mais uns tempos. É verdade que me custa imenso ver as pessoas tristes ou a chorar do outro lado do ecrã sem que as possa confortar, abraçar ou mimar. Mas para já é o que tem que ser e assim será para o bem de todos.

E estas foram as minha decisões de hoje… Acabo de escrever este texto às 11.11… quiçá seja um sinal de que estou a fazer a coisa certa.  🙂

Bem-haja a todos os que diariamente me inspiram e me ajudam a ser uma pessoa melhor.

Grata C por todo o Amor e inspiração que me dás, é um privilégio estar nesta vida com a tua companhia.

 

Anterior

O amor da Maria

SEGUINTE

Estender a mão ao outro...

ESCRITO POR:

geral@palavrascomsaude.com

Acredito que cada pessoa que aprende a comunicar de forma saudável com ela própria trilha um caminho de autoconhecimento que a conduz à sua melhor versão.